Breve Histórico

O pequeno livro contando a história de Monte Azul Paulista veio sanar inúmeras dúvidas que pairavam sobre a cidade. Podemos citar pelo menos duas de grande importância para nós: a primeira seria no sentido de que a cidade havia sido fundada em 1.897 e não 1.896. Ficou claro pelas pesquisas feitas pelo historiador que o correto é 1.896, isto porque no Diário do fundador Joaquim da Costa Penha está claro que no dia 29 de junho de 1.896, ele, Felipe Cassiano e outras pessoas demarcaram o local onde hoje está localizada a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus com uma cruz lavrada em uma imensa árvore, perto de um imenso coqueiro. Alguns meses depois levantaram, nesse mesmo local, um cruzeiro e, no ano de 1.897 é que foi lavrada a escritura de doação de alguns proprietários de terras do lado da Fazenda Avanhandava, para a Fábrica do Patrimônio Senhor Bom Jesus de Monte Azul. Esse equívoco levou antigos moradores e historiadores pensarem e escreverem que a cidade teria sido fundada em 1.897. Com a publicação do livro, foi desfeito esse desencontro de datas sobre a fundação da cidade. A segunda dúvida tem a ver com a primeira, pois quando do cinqüentenário, alguns políticos queriam que fosse comemorado em 1.946, outros 1.947, provocando certa animosidade entre os habitantes. Comemorou-se erradamente, em 1.947, como entendiam os políticos da então situação. Também, existe e não há maneira de se saber o que na verdade ocorreu, o fato de terem sido doados 25 alqueires que pertencem à Igreja e na realidade Monte Azul contar desde o início com 54 alqueires de terras mais ou menos. No entanto, é sabido que a família Junqueira colaborou com mais alguns alqueires para ser formado o patrimônio, sem, portanto, contarmos com nenhuma documentação comprobatória dessa doação. Acreditamos que por serem imensas as glebas dessa tradicional família é que não foram lavrados documentos, mas a verdade é que as terras que ultrapassam os 25 alqueires iniciais são exatamente do lado da Fazenda Palmeiras que era dessa já mencionada família. João Francisco Massoneto - historiador e autor dos Livros: Monte Azul Paulista - "A História de sua Existência" e "Patrocínia - A Verdadeira História".