Curiosidades

NÃO - Antônio José de Siqueira :

 

Autor tem três obras publicadas

Consta no início da referida obra o "Decálogo do Não", cujos itens, de zero a dez, apontam a importância de usar o Não ao invés de dizer Sim. No tocante ao mérito da narrativa, baseia-se em cenas de amor e trama policial, envolvendo jovens de uma república, entre outras questões.

 

 
 

 
Memórias de um papagaio de papel:
   
Memórias de um papagaio de papel:

Segunda publicação do autor Antônio José de Siqueira

Trata-se de uma autobiografia onde o autor sintetiza a sua trajetória de vida. Desde o fatídico acidente até os dias atuais, relata a sua via crucis. As seqüelas físicas, embora visivelmente deficientes, não impediram-no de viver uma vida normal, graças ao poder marcante de determinação, garra e muita luta e, acima de tudo, a enorme disposição de superação os obstáculos e adversidades.

 

 


Poeta de Brinquedo :

Terceira publicação de Antônio José de Siqueira

"De poeta e louco todos nós temos um pouco". Partindo dessa premissa, o autor brinca de ser poeta para satisfazer o seu ego e, quem sabe, agradar os leitores. Porém, os versos são livres e existe uma escassez de rimas. Os temas abrangem mais questões de caráter social".

 

 


 

Mundanças - Vladimir Plaza :

 "Mundanças foi escrito enquanto ainda estava na faculdade, e ainda com alguns poemas do colégio também. Era o adolescente vendo o mundo da sua forma e transmitindo isso. Houve mais de uma tentativa de se editar o livro, mas como tudo na vida tem seu tempo, a sua edição ocorreu em outubro de 2003".

Entre em contato com o autor: Vladimir@vladimirplaza.com.br ou www.vladimirplaza.com.br

 


Memórias – Educação (Marisa Elena de Camargo) :

"Meu maior objetivo nesta obra é mostrar novos caminhos para mudar uma sociedade...e que se um dia plantarmos uma semente é porque outrora queremos colher frutos e se os frutos não aparecerem não cabe a nós cortarmos a árvore, o nosso maior rebento, pois o fracasso é nosso, somente nosso porque não cuidamos direito. Vamos então cuidar dessa árvore para que possa florir e frutificar, pois somos os eternos responsáveis pelo florir nesse enorme e interminável jardim da vida.” 

Contatos com a autora: marisaelena40@hotmail.com

 


 

Lágrimas Secas - Renato Bartol Filho :

Lágrimas Secas

 O que me motivou a escrever o livro: O desejo de me expressar foi um dos grandes motivadores para eu escrever. Escrever é um modo de expressão no qual posso externalizar meus sentimentos, emoções, sensações, percepções e pensamentos. Através das palavras convido o outro a reviver o passado, enfrentar os desafios do presente e modificar os rumos do futuro. Todos nós somos capazes de expressar, através das diversas linguagens, nossa visão de mundo, pois cada um tem seu repertório próprio construído socialmente por meio de vivências, experiências, ideologias, crenças, mitos, normas e regras. Proponho no meu trabalho de maneira refletiva e direta, um repensar de muitas questões referentes principalmente ao adolescer.

Endereço para contato: renatombfilho@yahoo.com.br ou cedae@mdbrasil.com.br CEDAE (Centro de Educação Arte e Expressão de Bebedouro) - Rua Vicente Paschoal, 891 Centro -  Telefone (17) 3345-2332.

 


  

Um Exemplo de Vida - Maria José Garcia Blanco :

 

"Não sou escritora e nem tenho pretensão alguma. Como minha vida foi muito tumultuada, minha irmã "Pilar" foi quem me incentivou a escrever a minha biografia, que lancei em agosto de 2006, escrita com muita nitidez e simplicidade. Estou muito feliz em poder deixar algo para esta cidade a qual amo tanto... minha Monte Azul Paulista".

Um grande beijo... Zezé Blanco


 

Monte Azul Paulista 1896-2009 - A história de sua existência :

 Monte Azul Paulista 1896-2009 - A história de sua existência

“A História de sua existência – 1896/2009”, de João Francisco Massoneto, mesmo autor da História de nossa cidade quando completou 100 anos (1.996), veio, com esse novo livro, trazer mais informações, mesmo porque, naquela época, não foi possível transcrevê-las, basicamente, por falta de fatos comprovados, os quais surgiram somente com a leitura de jornais de 1.908, que ainda não estavam em seu poder, para elaboração da verdadeira História de Patrocínia.
O autor acredita e não se cansa de repetir, que, infelizmente, a ausência de memória histórica no Brasil o entristece muito e com esse pensamento é que se propôs a tentar, de alguma maneira, preservar o passado da querida Monte Azul Paulista, proporcionando às pessoas que se interessam pela cidade, que nasceu, ou mesmo escolheu para viver, conhecimentos que jamais poderiam ficar no esquecimento.

Entre em contato com o autor: joaomassoneto@uol.com.br


 

  As Ruas de minha Terra - João Francisco Massoneto :

 

 As Ruas de minha Terra

Alega o autor João Francisco Massoneto que a elaboração do Livro “As Ruas de Minha Terra” foi uma indicação brilhante de José Julião Arroyo, então, Diretor do Jornal “A Comarca”. A princípio, duvidou que pudesse angariar tantas informações dos homenageados, para, pelo menos serem repassadas aos leitores de forma precisa, segura e verdadeira; porém, após os primeiros terem surtido resultados satisfatórios, veio o prazer imenso de ter trazido à tona, após incansáveis pesquisas, um pouco do que foram e do que fizeram essas ilustres pessoas, que mereceram seus nomes consagrados em placas ou logradouros públicos.

Sentiu-se pesaroso, depois de muita leitura, ter observado que muitos moradores de nossa cidade, desde sua fundação, também merecedoras de ditas homenagens, não foram lembradas, por um motivo ou outro. São aquelas que mesmo não tendo prestado relevantes serviços à cidade ou à sociedade, não menos a amaram e ajudaram a engrandecê-la com feitos, trabalhos ou atos.
Com esse livro, amanhã, nossos filhos, netos ou mesmo pessoas que aqui não residem, poderão nos perguntar e responderemos, com convicção e com detalhes, quem teriam sido os cidadãos ou cidadãs que levam os nomes das Ruas, Avenidas e Logradouros Públicos de Monte Azul Paulista.
Atenta o autor que cada ano que passa, as informações ficam mais escassas e as dificuldades para obtê-las vão tornando-se impossíveis e que tendo chegado ao final desse desafio, disse ter valido a pena.



Entre em contato com o autor: joaomassoneto@uol.com.br
 

 

Monte Azul Paulista - A história de sua existência :

Monte Azul Paulista - A história de sua existência

"Sempre interessei-me por histórias, principalmente as regionais. Monte Azul Paulista faria 100 anos em 1996 e havia uma polêmica, além de uma grande confusão quanto ao ano exato desse aniversário vir acontecer somente em 1997. Esse impasse deu-me forças para levar aos monteazulenses a data correta e, assim, comecei a aprofundar-me na pesquisa. Não foi tão difícil chegar à conclusão de que nossa querida cidade teria sido fundada em 1.896, conforme claramente nos informou o diário do fundador Joaquim da Costa Penha. Acrescido a isso, é público e notório o amor que sinto pela "Princesinha da Colina" e pelas pessoas que realmente colaboraram para que hoje estivéssemos desfrutando dessa bela cidade". Entre em contato com o autor: joaomassoneto@uol.com.br

 

História de Santa Patrocínia - João Francisco Massoneto :

"Desde criança ouvia minha mãe rezar para Santa Patrocínia e, ao atingir certa idade, quis saber quem teria sido e onde teria vivido essa pessoa a quem ela professava tanta fé. Depois de ouvi-la, também tive oportunidade de conhecer muitas outras versões; porém, todas eram unânimes em afirmar que ela atendia a todos os seus pedidos. O fato de ter sido sacrificada, talvez, por um verdadeiro doente ciúme e pela morte trágica quando contava apenas 15 anos, justificava a devoção à Patrocínia. Assim nasceu a verdadeira história de Santa Patrocínia, desfazendo inúmeros rumores, trazendo à tona a veracidade dos fatos, para que fique mais fácil no futuro explicar para nossos filhos e netos". Entre em contato com o autor: joaomassoneto@uol.com.br